Example: dental hygienist

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE - …

Carla Milanesi de Oliveira CURVA ABC NA GEST O DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das reas que mais se desenvolvem dentro das organiza es sem d vida a Gest o dos Estoques, percebe-se que os investimentos em itens de ESTOQUE que ficam parados por per odos de tempo muito longos e sem necessidade ret m um alto investimento de capital das empresas. Com isso, essas empresas passaram a estudar melhor seus estoques enxergando que necess rio abastecer as cadeias produtivas levando em considera o a necessidade de baixar os recursos investidos em estoques que n o giram.

Carla Milanesi de Oliveira Carla_mila_lala@hotmail.com CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações

Information

Domain:

Source:

Link to this page:

Please notify us if you found a problem with this document:

Other abuse

Transcription of CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE - …

1 Carla Milanesi de Oliveira CURVA ABC NA GEST O DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das reas que mais se desenvolvem dentro das organiza es sem d vida a Gest o dos Estoques, percebe-se que os investimentos em itens de ESTOQUE que ficam parados por per odos de tempo muito longos e sem necessidade ret m um alto investimento de capital das empresas. Com isso, essas empresas passaram a estudar melhor seus estoques enxergando que necess rio abastecer as cadeias produtivas levando em considera o a necessidade de baixar os recursos investidos em estoques que n o giram.

2 O grande e novo desafio dos administradores de materiais e recursos patrimoniais manter as cadeias produtivas utilizando melhor os recursos. Este estudo foi realizado com o objetivo de verificar como a CURVA ABC pode estar ajudando o administrador de estoques a analisar as condi es e necessidades dos estoques em rela o aos itens que demandam maior consumo e valor financeiro. Palavras-chave: ESTOQUE ; Gerenciamento; Recursos. III ENCONTRO CIENT FICO E SIMP SIO DE EDUCA O UNISALESIANO Educa o e Pesquisa: a produ o do conhecimento e a forma o de pesquisadores Lins, 17 21 de outubro de 2011 2 CURVA ABC NA GEST O DE ESTOQUE 1.

3 INTRODU O O m todo da an lise de classifica o ABC uma ferramenta que auxilia no gerenciamento de estoques, proporcionando informa es relevantes sobre aqueles produtos que tem maior ou menor giro, relacionados com o custo de obten o. utilizada, tamb m, para defini o de pol tica de vendas, planejamento da distribui o, programa o da produ o e resolu o de uma s rie de problemas usuais de empresas industriais, comerciais ou de presta o de servi os. A CURVA ABC uma ferramenta gerencial que permite identificar quais itens requerem aten o e tratamento adequados quanto sua import ncia.

4 O gerenciamento do ESTOQUE , enfim, indispens vel para que seja alcan ada a excel ncia na administra o da empresa. Segundo Chambers (2002), n o importa o que est sendo armazenado como ESTOQUE , ou onde ele est posicionado na opera o, ele existir porque existe uma diferen a de ritmo ou de taxa entre fornecimento e demanda. Se o fornecimento de qualquer item ocorresse exatamente quando fosse demandado, o item nunca necessitaria ser estocado. Quando a taxa de fornecimento excede a taxa de demanda, o ESTOQUE aumenta; quando a taxa de demanda excede a taxa de fornecimento, o ESTOQUE diminui.

5 O ponto bvio a ressaltar que, se uma opera o pode fazer esfor os para casar as taxas de fornecimentos e de demanda, acontecer uma redu o em seus n veis de ESTOQUE . O gerenciamento de ESTOQUE a atividade de planejar e controlar ac mulos de recursos transformados, conforme eles se movem pelas cadeias de suprimentos, opera es e processos. (BETTS, 2008, p. 295). O ESTOQUE pode ser o pulm o contra flutua es inesperadas no suprimento e na demanda, conhecido tamb m como ESTOQUE de seguran a, que podem compensar as incertezas no processo de suprimento de mercadorias para a empresa.

6 De acordo com Betts (2008), o ESTOQUE permite s opera es tirarem vantagens das oportunidades a curto prazo. s vezes pode surgir algumas oportunidades que implicam no ac mulo do ESTOQUE , mesmo quando n o existe demanda imediata para ele. O ESTOQUE pode ser usado tamb m para antecipar demandas futuras e o gerenciamento de capacidade a m dio prazo pode usar o ESTOQUE para lidar com as flutua es da capacidade e demanda, Betts (2008). O ESTOQUE tem importante papel nas fun es administrativas e planejamento da empresa.

7 O objetivo do artigo verificar a import ncia do ESTOQUE para as empresas nas varia es de mercado. III ENCONTRO CIENT FICO E SIMP SIO DE EDUCA O UNISALESIANO Educa o e Pesquisa: a produ o do conhecimento e a forma o de pesquisadores Lins, 17 21 de outubro de 2011 3 2 REVIS O BIBLIOGRAFICA ESTOQUE T foli (2008) representa a quantidade de bens fisicos que s o mantidos espera da venda (ou da produ o), por um determinado tempo. S o considerados como bens em estoques, as mat rias-primas, os produtos semi-acabados, os produtos acabados e as mercadorias compradas de terceiros.

8 Os estoques s o os materiais que n o s o utilizados em determinado momento, mas que existe em fun o de futuras necessidades. Logo, estocar reservar os produtos/mercadorias para utiliza o futura. ESTOQUE como a acumula o armazenada de recursos materiais em um sistema de transforma o. Algumas vezes o ESTOQUE tamb m usado para descrever qualquer recurso armazenado. Todavia apesar de esses recursos de transforma o serem tecnicamente considerado como ESTOQUE , n o s o obtido sempre que um consumidor faz uma solicita o, eles n o s o o que normalmente se quer dizer com o termo ESTOQUE .

9 (SLACK, 2002). Gest o de ESTOQUE Vendrame (2008), define que a gest o de ESTOQUE constitui uma s rie de a es que permitem ao administrador verificar se os estoques est o sendo bem utilizados, bem localizados em rela o aos setores que deles utilizam, bem manuseados e bem controlados. Conforme Vendrame (2008), a gest o de ESTOQUE , basicamente o ato de gerir recursos ociosos possuidores de valor econ mico e destinado ao suprimento das necessidades futuras de material, numa organiza o. A gest o de ESTOQUE visa, portanto, numa primeira abordagem, manter os recursos ociosos expressos pelo invent rio em constante equil brio em rela o ao n vel econ mico timo dos investimentos.

10 Pode ser entendido ainda, como certa quantidade de itens mantidos em disponibilidade constante e renovados, permanentemente, para produzir lucros e servi os. (VENDRAME, 2008) Fun es do ESTOQUE Os estoques constituem um v nculo entre as etapas do processo de compra e venda, no processo de comercializa o em empresas comercias, e entre as etapas de compra, transforma o e venda, no processo de produ o em empresas industriais. III ENCONTRO CIENT FICO E SIMP SIO DE EDUCA O UNISALESIANO Educa o e Pesquisa: a produ o do conhecimento e a forma o de pesquisadores Lins, 17 21 de outubro de 2011 4 Em qualquer ponto do processo formado por essas etapas, os estoques desempenham um papel importante na flexibilidade operacional da empresa.


Related search queries