Example: dental hygienist

GUIA DE ENFERMAGEM DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL. SECRETARIA DE ESTADO DE SA DE. Subsecretaria de Aten o Integral Sa de Protocolo de Aten o Sa de GUIA DE ENFERMAGEM DA ATEN O PRIM RIA . SA DE. rea (s): Ger ncia de Normatiza o de Servi os de Aten o Prim ria- GENS/DIRORGS/COAPS/SAIS/SES-DF e DIENF/CORIS/SAIS/SES-DF. Portaria SES-DF N 161 de 21 de fevereiro de 2018, publicada no DODF N 37, de 23 de fevereiro de 2018. Metodologia de Busca da Literatura o Bases de dados consultadas Realizou-se uma pesquisa a partir de artigos, livros e publica es governamentais do Minist rio da Sa de, da Secretaria de Estado de Sa de do Distrito Federal, Secretarias Municipais de Sa de de outros Estados e Conselhos de Classe Regional e Federal.

Comissão Permanente de Protocolos de Atenção à Saúde da SES-DF - CPPAS Página 3 Neste contexto a Coordenação de Atenção Primária à Saúde em conjunto com

Information

Domain:

Source:

Link to this page:

Please notify us if you found a problem with this document:

Other abuse

Transcription of GUIA DE ENFERMAGEM DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

1 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL. SECRETARIA DE ESTADO DE SA DE. Subsecretaria de Aten o Integral Sa de Protocolo de Aten o Sa de GUIA DE ENFERMAGEM DA ATEN O PRIM RIA . SA DE. rea (s): Ger ncia de Normatiza o de Servi os de Aten o Prim ria- GENS/DIRORGS/COAPS/SAIS/SES-DF e DIENF/CORIS/SAIS/SES-DF. Portaria SES-DF N 161 de 21 de fevereiro de 2018, publicada no DODF N 37, de 23 de fevereiro de 2018. Metodologia de Busca da Literatura o Bases de dados consultadas Realizou-se uma pesquisa a partir de artigos, livros e publica es governamentais do Minist rio da Sa de, da Secretaria de Estado de Sa de do Distrito Federal, Secretarias Municipais de Sa de de outros Estados e Conselhos de Classe Regional e Federal.

2 O Palavra (s) chaves (s). Utilizaram-se as seguintes palavras-chave: ENFERMAGEM , Protocolos Assistenciais e de Fluxo, Procedimentos Operacionais Padr o, Fluxogramas. o Per odo referenciado e quantidade de artigos relevantes Para sele o do material, utilizaram-se como per odo referenciado as publica es dos ltimos anos. Em resumo, foram consultados para elabora o deste protocolo os seguintes documentos: 03 Publica es de Ag ncia Nacional, 53 publica es do Minist rio da Sa de, 09 Protocolos Assistenciais, 16 documentos de Secretarias Municipais de Comiss o Permanente de Protocolos de Aten o Sa de da SES-DF - CPPAS P gina 1.

3 Sa de e Distrito Federal, 07 livros t cnicos, 03 publica es de conselhos de classe Regionais e Federal, 01 Revista Cient fica e 06 Artigos Cient ficos. Introdu o A Aten o Prim ria Sa de vem-se consolidando como a forma mais eficiente de organiza o dos Servi os de Sa de enquanto ordenadora da rede e coordenadora do cuidado e desta forma destaca-se a APS como primeiro ponto de aten o e principal porta de entrada do sistema a qual constitu da de equipe multidisciplinar que deve cobrir toda a popula o, integrando, coordenando o cuidado e atendendo as necessidades de sa de da popula o bem como resolvendo a maioria dos problemas de sa de.

4 No DF a mudan a do modelo de APS foi iniciada no segundo semestre de 2016. com discuss es entre profissionais, representa es classistas e gestores. O modelo assistencial que se busca baseia-se na Estrat gia de Sa de da Fam lia (ESF) com nfase na abordagem familiar e comunit ria tendo como base a Pol tica Nacional de Aten o B sica/MS. Estas mudan as iniciaram com a publica o da Pol tica De Aten o Prim ria Sa de do DF atrav s da publica o da Portaria n 77 de 14/02/2017 . Todavia, garantir a mudan a do modelo e a expans o da cobertura de ESF, n o significa que os problemas de sa de da popula o ser o resolvidos.

5 Necess rio que haja tamb m um aumento da resolutividade, garantindo acesso ao usu rio e a qualidade dos servi os prestados de acordo com suas necessidades. Desta forma, al m dos investimentos em tecnologia, infraestrutura e nos profissionais, necess rio definir quais servi os a serem ofertados pela APS consolidado com a aprova o da 2 Edi o da Carteira de Servi os da APS/DF em 17/11/2016 - assim como sua implanta o, padroniza o em todas as Unidades B sicas de Sa de da APS. Entre estas a es, a Secretaria de Sa de trabalha com a proposta de legitimar o profissional de ENFERMAGEM como um dos protagonistas do processo assistencial.

6 Portanto faz-se necess rios nortear os enfermeiros, t cnicos e auxiliares de ENFERMAGEM em suas atividades di rias na APS, fazendo com que tenham seguran a e dom nio t cnico para que possam garantir, uma oferta de servi os qualificada. Contudo foi dado um passo inicial para a normatiza o das boas pr ticas da profiss o na APS/DF, h um extenso trabalho a ser realizado em rela o a padroniza o das a es que devem ser realizadas pelo enfermeiro na APS, como: implementa o da Sistematiza o de ENFERMAGEM /Processo de ENFERMAGEM , abordagem familiar e comunit ria, entre outras.

7 Comiss o Permanente de Protocolos de Aten o Sa de da SES-DF - CPPAS P gina 2. Neste contexto a Coordena o de Aten o Prim ria Sa de em conjunto com a Diretoria de ENFERMAGEM /CORIS/SAIS, Associa o Brasileira de ENFERMAGEM , Conselho Regional de ENFERMAGEM do Distrito Federal iniciou a elabora o deste Guia de ENFERMAGEM da APS com a descri o dos principais Procedimentos Operacionais Padr o e respectivos fluxogramas. Foram utilizados como documentos balizadores a Carteira de Servi os da APS/DF 2 Edi o; legisla es e publica es do Minist rios da Sa de e Secretarias Municipais de Sa de e do Distrito Federal, Protocolos Cl nicos da SES/DF bem como as Legisla es de ENFERMAGEM .

8 O presente guia dever auxiliar o enfermeiro nos processos de coordena o, planejamento e gest o da unidade de sa de, organizando e equilibrando as atividades de gest o e o cuidado. O processo de implanta o do protocolo em quest o poder passar por dificuldades tendo em vista que at ent o n o havia sido criado algo que uniformizasse os procedimentos em toda a APS podendo ser modificado de acordo com os resultados de sua aplicabilidade. Contudo, ressalta-se que o referido guia resultado de um amplo esfor o de profissionais da SES e representantes das institui es de ENFERMAGEM dos diferentes n veis de atua o da APS/DF.

9 Justificativa Com as mudan as na Aten o Prim ria Sa de do DF decorrentes da publica o das Portarias n 77 e 78 de fevereiro de 2017 que trata da amplia o das equipes para o modelo de Estrat gia de Sa de da Fam lia tornou-se essencial subsidiar os profissionais de ENFERMAGEM de protocolos dos processos de trabalho na APS, garantindo assim uma assist ncia qualificada. Trata-se de uma normatiza o de processos integrados e cont nuos nas a es que visam a promo o, preven o, recupera o e reabilita o da sa de do usu rio, fam lia e comunidade.

10 Possibilitando assim, um avan o na qualifica o do profissional da equipe de ENFERMAGEM como agente proativo e indutor das melhores pr ticas assist ncias em todos os ciclos de vida. Classifica o Estat stica Internacional de Doen as e Problemas Relacionados . Sa de (CID-10). N O SE APLICA. Diagn stico Cl nico ou Situacional N O SE APLICA. Crit rios de Inclus o Comiss o Permanente de Protocolos de Aten o Sa de da SES-DF - CPPAS P gina 3. N O SE APLICA. Crit rios de Exclus o N O SE APLICA. Conduta 67 POP's e 54 Fluxogramas - ANEXOS: Conduta Preventiva N O SE APLICA.